O governador reeleito de Minas Gerais, Aécio Neves, disse ontem que o PSDB não se negará a discutir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva as questões consideradas fundamentais para o desenvolvimento do País. José Serra, governador eleito de São Paulo, também sinalizou ontem, ao anunciar parte de seu secretariado, que não vai criar obstáculos a uma conversa com Lula. "Estou à disposição do presidente para uma conversa", emendou o governador eleito, sem entrar em detalhes a respeito do tema.

Aécio tratou como "natural" a conversa entre o presidente e o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM), mas destacou que a disposição dos tucanos para o diálogo "não se trata de conciliação". "Somos oposição, esse é o papel que as urnas, a população brasileira nos delegou por esse próximo período. Mas isso não impede que nós ajudemos o Brasil a avançar naquilo que pudermos fazer", afirmou o governador mineiro, após receber o embaixador da China, Chen Duqing, no Palácio das Mangabeiras

O governador reeleito de MG disse que não foi contatado por Lula para uma eventual conversa. E não acredita que o aceno do presidente à oposição possa enfraquecer o movimento dos governadores que procura capitanear. Segundo o governador de Minas, o presidente compreende que para o Brasil avançar, é preciso que o País esteja em "harmonia".