São Paulo – O prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), pré-candidato a presidente, afirmou hoje que "errar é humano, mas a impunidade é desumana", ao rebater as declarações feitas nos últimos dias pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Serra, que se esquiva de temas ligados à política nacional, afirmou, na inauguração da estrutura de alvenaria de uma escola na zona leste da capital paulista, que o que um presidente deve fazer é "atuar para coibir abusos e punir culpados, e não ficar absolvendo".

"A absolvição é divina, o presidente da República tem de fazer cumprir a lei, investigar e combater as coisas, e não filosofar, inutilmente, como é feito no caso", completou. Mais uma vez, ele evitou responder sobre as eleições deste ano e as pesquisas de opinião, sobretudo a da Confederação Nacional do Transporte (CNT) encomendada ao Instituto Sensus, divulgada ontem (14), e que mostra a recuperação de Lula e a queda da preferência pelo nome tucano entre o eleitorado.

Serra também deixou de se aprofundar ao comentar o encontro que será realizado amanhã (16) entre os principais líderes do partido. "É um encontro para discutir desenvolvimento inflação e taxa de juros, e virão várias pessoas. É o que eu tenho a dizer, não há nada de especial nesta data."