O Senai de Londrina está com inscrições abertas para a pós-gradução Moda e Gestão. O curso qualifica o aluno em gerenciamento de negócio e é dirigido a graduados em design de produto, design de moda, design gráfico, estilismo, engenharia da produção, profissionais de marketing, administração, comércio exterior e publicidade e também a empresários e trabalhadores da indústria de confecção.

Os interessados devem entregar currículo para análise na sede do Senai (Rua Belém, 844) até o dia 30 de julho. A seleção inclui ainda entrevistas pessoais. O resultado será divulgado no dia 4 de agosto e as aulas começarão logo em seguida, no dia 11.

A pós tem duração de um ano e meio, com aulas ministradas em fins de semana intercalados (sextas-feiras à noite e sábados durante o dia inteiro). 

O objetivo da pós-graduação é preparar profissionais para a gerência da moda. O conteúdo vem com a chancela do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), por meio do Senai Paraná e em parceria com o Senai Santa Catarina.

A consultora do Senai e coordenadora do curso, Andréa Meneghetti Zatta, ressalta que o corpo docente é formado por especialistas, mestres e doutores. Entre eles, Dario Caldas, que é uma referência no mundo da moda e irá ministrar a disciplina de Competitividade. Caldas é mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP), diretor do Observatório de Sinais, consultor de empresas e palestrante internacional.

A pós em Moda e Gestão inclui ainda as disciplinas Marketing Estratégico, Sistema da Moda, Consumo Contemporâneo, Desenvolvimento de Produto e Coleção, Metodologia Prática de Pesquisa, Gestão Estratégica de Negócio, Workshops Conclusivos e Metodologia do Ensino Superior (optativa).

Mercado 

O Paraná é, hoje, o terceiro colocado no ranking nacional de produção de artigos têxteis e de confecção, empatado com Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Goiás. São mais de 4 mil empresas, que geram aproximadamente 200 mil empregos diretos e indiretos.

Além disso, o setor têxtil e de confecções tem sido responsável pela melhoria da imagem do produto nacional no mercado externo. O Brasil é o 7º maior parque têxtil mundial e conta com mais de 30 mil empresas formais. Juntas, elas faturam US$ 25 bilhões por ano, contribuindo com 4,4% do PIB nacional, de acordo com dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil, que prevê para este ano um aumento de aproximadamente 2,5%.