O senador Tião Viana (PT-AC) apresentou hoje em Plenário requerimento solicitando a quebra do sigilo bancário do caseiro Francenildo Santos Costa. O caseiro afirma ter visto o ministro da Fazenda, Antônio Palocci, por "dez ou 20 vezes", em uma mansão, em Brasília. alugada por Vladimir Poleto, que foi um dos assessores de Palocci, na época em que ele foi prefeito de Ribeirão Preto (SP). Poleto é investigado, pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Bingos, por suspeita de tráfico de influência no governo.

Tião Viana pede acesso às informações do tipo depósitos à vista e a prazo em conta-corrente e poupança, pagamentos efetuados em moeda corrente ou cheques. Pede informações sobre operações com cartões de crédito e quaisquer outras operações de natureza semelhante envolvendo a conta do caseiro que venham a ser autorizadas pelo Banco Central do Brasil.

Costa já teve a sua movimentação financeira exposta em uma reportagem publicada este final de semana pela revista Época, da editora Globo. O extrato da conta que o caseiro tem na Caixa Econômica Federal, ao qual a revista teve acesso, mostra que ele recebeu desde o início do ano R$ 38.860. Francenildo justificou a movimentação financeira dizendo que é filho bastardo do empresário Euripedes Soares da Silva, dono de uma empresa de ônibus em Teresina, e que teria recebido o dinheiro dele. Soares nega ser o pai do caseiro, mas confirma que fez os depósitos.