Uma ação da Polícia Civil, iniciada na noite de terça-feira (12) e finalizada na noite desta quarta-feira (13), coibiu o tráfico de drogas na região central de Curitiba. Pelo menos 14 pessoas foram levadas para a delegacia, entre elas quatro adolescentes. Além disso, cerca de 70 buchas de drogas diversas (maconha, crack e cocaína) foram apreendidas durante os dois dias. Segundo as investigações, em alguns casos, as drogas estavam escondidas no chão, no concreto e até em fundos falsos nas paredes.

A delegada Camila Cecconello ressaltou que os traficantes têm adotado medidas diferentes para evitar que sejam encontrados. “Quando percebem que a polícia chega, é até difícil pra gente encontrar a droga, pois escondem no chão, no concreto, até em fundos falsos nas paredes. Mas dessa vez conseguimos localizar tudo, pois tínhamos a ajuda do cão farejador”, detalhou.

A operação realizada peça polícia partiu de denúncias de moradores e comerciantes da região central de Curitiba. “Essas denúncias foram muito importantes para a gente, pois quem vive na região sabe o que está acontecendo”, explicou a delegada Camila.

Grana

Além da droga apreendida, os policiais encontraram mais de R$ 1 mil em dinheiro trocado. Na primeira noite, as prisões e apreensões foram nas ruas Trajano Reis e Paula Gomes, no São Francisco. Só nesta primeira ação policial, 13 pessoas foram conduzidas à delegacia. “Oito foram ficaram presas, duas assinaram um termo circunstanciado e três adolescentes foram apreendidos”, completou a delegada.

A segunda noite de trabalho dos policiais no Centro foi nas ruas Desembargador Ermelino de Leão, na Cruz Machado e na Saldanha Marinho. “Neste caso, quatro pessoas foram encaminhadas, duas delas ficaram presas, um adolescente foi levado à delegacia especializada e uma quarta pessoa assinou um termo circunstanciado”.

Foco no Centro

O centro de Curitiba já foi alvo de diversas ações com o objetivo de coibir com o tráfico de drogas. Além do tráfico, já foram feitas operações na região central de Curitiba com foco na prostituição em hotéis. A delegada disse que a polícia vai continuar cada vez mais presente, para fazer com que os bandidos aos poucos comecem a sair. “E é por isso que contamos, sempre, com a ajuda da população. Os moradores são os mais incomodados com o que acontece e eles podem nos ajudar muito”.

Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Foto: Divulgação/Polícia Civil.