Ser abordado por uma equipe do Batalhão de Operações Especiais (Bope), da Polícia Militar (PM) foi o que bastou para um homem ainda não identificado abrir fogo contra os agentes. O suspeito foi morto na tarde desta terça-feira (8) dentro de um sobrado na rua José Chimanski, no Jardim Futurama, bairro Umbará, em Curitiba.

De acordo com a PM, tudo começou quando os agentes desconfiaram do comportamento do indivíduo na rua Francisco Ferreira Filho. Armado, ele reagiu à aproximação da equipe e correu, invadindo casas, pulando muro após muro até chegar ao imóvel que virou sua sepultura.

O sobrado tem uma cor estranha, indefinida, que lembra bem o tom amarelado da pele de um cadáver. Na parte da frente do imóvel, segurança é o que não falta: a sacada do primeiro andar é fechada com vidros fumês que escondem o que se passa do lado de dentro e o térreo é isolado da rua por uma parede que vai do chão até o piso superior, tal como o portão de grades.

A retaguarda, no entanto, não é tão protegida. “Ele invadiu várias casas de um mesmo quarteirão até chegar ao sobrado. O morador, quando percebeu a presença do suspeito, correu, ao que os policiais alcançaram o rapaz”, explica o capitão Fábio Bonifácio Ferreira, do Bope.

Sem saber mais por onde escapar, o suspeito então começou a atirar. “Ele estava com uma pistola calibre 380 e recebeu os agentes a tiros. A equipe apenas reagiu”.

Quem é ele?

O suspeito estava sem documentos e ainda não foi identificado. Jovem, “ele devia ter vinte e poucos anos”, descreve o oficial.

Operação

As equipes estavam na região para uma operação policial realizada ao longo do dia na região sul da cidade. A arma usada pelo suspeito foi apreendida e o corpo foi encaminhado ao Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba.