Um pintor de 59 anos é suspeito de torturar o ex-patrão cortando seus dedos até os ossos para roubar R$ 30 mil. Ele foi preso pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) de Curitiba em sua casa, no bairro Sítio Cercado, e não reagiu à prisão.

De acordo com o delegado Emmanoel David, o crime aconteceu na noite de 29 de janeiro deste ano, quando três homens armados se identificaram como policiais e abordaram um empresário no bairro São Francisco. Eles deram voz de assalto logo depois e iniciaram as cenas de terror.

“Foi um crime extremamente violento porque bateram na vítima com as mãos, com as armas e ainda pegaram uma faca e cortaram seus dedos até chegar aos ossos. O comerciante precisou ser encaminhado imediatamente ao hospital em estado grave com hemorragia”, disse.

Segundo o delegado, a tortura aconteceu porque um dos criminosos já havia trabalhado na residência em 2015 e sabia que o homem guardava dinheiro ali. “O empresário não queria falar onde estava o valor, mas, como um dos autores sabia da existência desse dinheiro, eles continuaram agindo com violência até encontrar R$ 30 mil”.

Investigações

A equipe policial iniciou as investigações logo após o registro do boletim de ocorrência e conseguiu identificar o ex-funcionário. O homem não reagiu à prisão, mas negou seu envolvimento no crime. Agora, responderá por roubo majorado e permanece preso à disposição da Justiça, enquanto a equipe continua em diligências para identificar os dois comparsas.

Alerta pra população

Diante da situação, o delegado aproveita para aconselhar a população a não deixar altas quantias de dinheiro em casa. “Sabemos que muitos ainda guardam valores em suas residências, mas isso não é aconselhável, principalmente, se outras pessoas estiverem prestando serviços no local”, alerta.