Alexandre Bilas do Nascimento, 39 anos, apontado pela Polícia Civil como suspeito de matar e ocultar o corpo de Lindiane Navarro Corrêa, foi preso neste domingo (15), pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no estado de Santa Catarina (SC). A mulher, que tem dois filhos, está desaparecida desde o dia 8 de dezembro de 2017.

A Tribuna do Paraná apurou que o homem foi preso por uso de documento falso. Ele estava em Itajaí, litoral de SC, com um Renault Grand Tour, que já vinha sendo monitorado pela polícia. Quando foi abordado, apresentou uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) falsa e acabou detido.

O homem foi encaminhado à Delegacia da Polícia Federal e deve ser transferido para Curitiba. Conforme a polícia, ele é o único suspeito de estar por trás do desaparecimento de Lindiane.

Lidiane não foi mais vista desde o começo de dezembro. Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Lidiane não foi mais vista desde o começo de dezembro. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

A mulher não foi mais vista desde o começo de dezembro do ano passado e, segundo a família, teria sumido da casa em que morava com Alexandre, na Rua Miguel Mafuz, no Abranches, em Curitiba.

O que os policiais da Delegacia de Proteção à Pessoa (DPP) apuraram, é que o homem mantinha um relacionamento abusivo com ela e, por vezes, a agredia além de ameaça-la.

Desde o desaparecimento, nenhuma informação sobre Lindiane foi obtida pelas equipes da DPP. Os filhos da mulher, uma menina de três anos que ela teve com Alexandre e um menino de sete, de outro relacionamento, estão com familiares da jovem até que a polícia descubra o que de fato aconteceu.

Dias depois que Lindiane desapareceu, Alexandre foi filmado, na noite de 13 de dezembro, invadindo o condomínio em que moram os pais dela, no bairro Cajuru, para ameaçá-los.

Depois de entrar na casa da família, ele agrediu o pai da mulher e depois foi flagrado fugindo. O homem ficou internado por uma semana e saiu do hospital temendo por sua vida.

Documentos falsos

Alexandre estava foragido desde o momento do desaparecimento de Lindiane, porém, a Polícia Civil apurou que ele já deveria estar preso, por um mandado de prisão por roubo. Desde antes do sumiço da mulher, Alexandre usava documentos falsos para não ser identificado na rua e, por isso, ainda não tinha sido encontrado.

Conforme a DPP, o homem teria participado de um assalto na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Além disso, a Justiça também expediu um mandado de prisão por suspeita de assassinato e ocultação do corpo de Lindiane, pois o Ministério Público do Paraná (MP-PR) entendeu que há fortes indícios de que a mulher tenha realmente sido morta pelo homem.

Alexandre foi filmado, na noite de 13 de dezembro, invadindo o condomínio em que moram os pais dela. Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Alexandre foi filmado, na noite de 13 de dezembro, invadindo o condomínio em que moram os pais dela. Foto: Divulgação/Polícia Civil.

Alexandre não imaginava, mas seu carro já estava sendo monitorado e os policiais descobriram que ele levou, nos últimos dias, uma multa na cidade de Navegantes, em Santa Catarina. As informações foram passadas para a polícia local, que o encontrou e agora ele deve ser buscado.

Neste momento, o que os policiais querem é descobrir o que o homem vai dizer sobre o sumiço de Lindiane. Informações que possam ajudar nas investigações podem ser passadas para o disque-denúncia da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que também responde pela Delegacia de Proteção à Pessoa, pelo telefone 0800-643-1121.