Um homem, de 48 anos, proprietário de três revendedoras de veículos em Curitiba, foi preso acusado de adulterar a quilometragem dos carros colocados à venda em suas lojas, em um shopping do ramo localizado na Linha Verde (BR-376). Quatro mandados judiciais foram cumpridos pela Polícia Civil contra ele, sendo um de prisão preventiva e três de busca e apreensão. As buscas foram realizadas nos bairros Uberaba, Cajuru e Tarumã, nas três concessionárias e na residência do suspeito, onde ele foi localizado.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Dono de revendas, preso por suspeita de adulterar a quilometragem dos veículos. Foto: Divulgação/Polícia Civil
Dono de revendas, preso por suspeita de adulterar a quilometragem dos veículos. Foto: Divulgação/Polícia Civil

Segundo o delegado André Feltes, da Delegacia de Crimes Contra e Economia e Proteção ao Consumidor (Delcon), durante a ação, a polícia flagrou um Hyundai iX35 exposto para venda marcando 89 mil quilômetros rodados, sendo que originalmente tratava-se de 107 mil quilômetros rodados.

Para checar a informação, os policiais civis deslocaram-se até a empresa que teria comercializado o veículo para o homem, que confirmou os 107 mil quilômetros originais. “O suspeito ainda tentou enganar a polícia voltando a quilometragem dos 89 mil para os 107 mil, mas ficou evidenciada a fraude. Ele fez isso porque nós entramos em contato com a concessionária que fez a revenda para uma das lojas dele com o objetivo de averiguar qual era a quilometragem verdadeira. Nesse vai e vem de informações, é possível que o suspeito tenha sido avisado da busca da polícia e quis esconder evidências”, disse Feltes.

+ Caçadores: Morte de Andriely, jovem assassinada por ex-namorado, completa um ano

Além do veículo, a Polícia Civil apreendeu diversos documentos e celulares, que serão analisados com o objetivo de constatar outras irregularidades. Segundo a polícia, as investigações continuam para identificar se outros carros, já vendidos, bem como expostos à venda nos três estabelecimentos investigados, passaram ou não pelo processo de adulteração.

Denuncie!

Delegado André Gustavo Feltes, da Delcon. Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná
Delegado André Gustavo Feltes, da Delcon. Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná

Com a prisão do proprietário das lojas, o delegado pede que outras vítimas compareçam na Delcon e denunciem o crime. O homem foi indiciado por expor à venda produto impróprio para uso. Ele permanece preso à disposição da Justiça. Caso seja condenado poderá pegar até cinco anos de prisão.

+ Leia mais: Bandidos invadem escola e fazem alunos e funcionários reféns na CIC

O suspeito já tinha passagem pela polícia por estelionato ligado ao ramo de veículos. “Pedimos também que os compradores de veículos fiquem atentos à quilometragem dos carros. Um veículo que rode sem excessos, normalmente, faz cerca de 10 mil quilômetros em um ano. Uma quilometragem muito abaixo disso deve ser verificada para evitar transtornos, conversando com antigos proprietários. Esse crime de reduzir o valor dos quilômetros, infelizmente, é comum”, finalizou André Feltes.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Bolsonaro visita Curitiba e Foz do Iguaçu nesta sexta-feira; estudantes organizam protestos