Explosivos suficientes para explodir 100 caixas eletrônicos. Essa foi a quantidade de dinamite apreendida pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) na manhã desta terça-feira (29) em uma residência de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba.

De acordo com o delegado Rodrigo Brown, a ação é resultado das investigações referentes a uma quadrilha especializada que vinha aterrorizando diversas cidades do interior do Paraná, Bahia e Piauí. “No dia 4 de novembro nós conseguimos efetuar a prisão de parte dessa quadrilha aqui na região e passamos a investigá-los, quando descobrimos diversos locais onde escondiam os explosivos e armas”, conta.

Com isso, os policiais cumpriram hoje seis mandados de busca e apreensão referentes ao caso e encontraram a grande quantidade de dinamite em um dos endereços de Almirante Tamandaré. “A residência estava vazia, mas encontramos escondido na caixa de água essa grande quantidade de explosivos, cartuchos de nitrato de amônia, cordel detonante, pavio, duas armas de fogo calibre 38 e uma espingarda calibre 32”, informa o delegado, que também encontrou com sua equipe um caminhão roubado e algumas placas de veículos clonadas.

Para o secretário da Segurança Pública Wagner Mesquita, “a quantidade de explosivo apreendida revela que esta era uma quadrilha que usava armamento pesado como fuzis e extremamente perigosa, especializada e atuante não só no Paraná, mas também em estados do Sul e Sudeste”.

Outro detalhe que chamou a atenção nas investigações é que as residências onde foram realizadas as buscas haviam sido adquiridas pela quadrilha com o dinheiro roubado nas explosões de caixas eletrônicos. “Eles compravam pequenos terrenos e casas na região metropolitana para guardar os equipamentos usados, e também para lavar dinheiro”, explica.

A quadrilha desarticulada pela ação do Cope era chefiada por Ricardo Mariano, conhecido como “Seco”, de 40 anos. Ele foi detido juntamente com Ademir Martins, de 38, e Lucas Zulco de Castro, de 34. A organização criminosa começou a ser investigada em outubro, quando houve a explosão de um caixa eletrônico de uma agência bancária na cidade de Inácio Martins. A investigação mostrou o envolvimento de “Seco” e, a partir dai, o Cope conseguiu identificar os outros integrantes.

Vídeo

Veja a entrevista com o delegado Rodrigo Brown: