Dois homens, de 34 e 19 anos, foram presos em flagrante na manhã desta terça-feira (3), durante uma operação policial que estourou um esquema organizado de fabricação de drogas sintéticas em Curitiba e na região metropolitana.

Foram cumpridos mandados de prisão em Campina Grande do Sul, em duas chácaras onde funcionavam laboratórios, e outro mandado foi cumprido em um sobrado de área nobre no Xaxim. Vários equipamentos de laboratório foram apreendidos e uma grande quantidade de MDMA (metilenodioximetanfetamina), matéria-prima para a fabricação do ecstasy. O valor da apreensão ainda não foi calculado, mas a polícia já estima que o resultado ultrapasse a cifra de alguns milhões de Reais. A operação foi executada pelo Centro de Operações Policiais Especiais (Cope).

Segundo o delegado titular do Cope, Rodrigo Brown de Oliveira, a investigação dos endereços começou há dois meses, após uma denúncia que chegou por e-mail. “Após longa investigação, pedimos os mandados aos poder judiciário e partimos para realizar a operação nas primeiras horas da manhã desta terça. Nas duas chácaras de Campina Grande do Sul ficavam os laboratórios. Havia vários produtos químicos, estufa, equipamentos e grande quantidade de MD, o chamado nas baladas rave de Michael Douglas. Só para se ter uma ideia, 100 gramas dessa droga tem um valor comercial que se aproxima dos R$ 200. Na forma de pasta bruta, apreendemos cerca de 20 quilos da substância”, revelou Brown.

Drogas sintéticas apreendidas valem cerca de R$ 40 mil. Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná
Além de equipamentos para laboratório, que tem valor considerável, as drogas sintéticas apreendidas valem cerca de R$ 40 mil. Foto: Átila Alberti/Tribuna do Paraná

Ainda conforme explicou o delegado, o sobrado no Xaxim entrava no esquema do tráfico como ponto de distribuição das drogas. “Elas eram distribuídas em Curitiba e Região e, possivelmente, no litoral de Santa Catarina. Com certeza, a apreensão foi um grande impacto para a quadrilha”, disse.

O homem de 34 anos foi preso em Campina Grande do Sul. O de 19 anos em Curitiba, no Xaxim. A polícia suspeita e investiga a participação de mais gente no esquema. “Suspeitamos de mais gente na quadrilha. As propriedades onde os dois foram presos indicam isso. São duas chácaras na Região Metropolitana e uma residência de alto padrão no Xaxim. Seria pouco provável que somente os dois estivessem bancando todo o esquema”, apontou Rodrigo Brown.

Para transportar os equipamentos e a droga apreendidos, foi preciso utilizar um caminhão-baú de médio porte e, também, contar com o apoio de viaturas da Polícia Civil. Até o fim da tarde desta terça-feira, o Cope ainda contabilizava o resultado da apreensão. “Ainda não temos um valor estimado, mas com certeza ultrapassa a casa dos milhões de Reais”, finalizou o delegado.

Os homens seguem presos na sede do Cope, à disposição da Justiça.

Curitiba é a quinta capital que mais cresce no Brasil