A Polícia Civil do Paraná e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Rio Grande do Norte prenderam duas mulheres e um advogado suspeitos de pedofilia. As duas mulheres são as mães de duas crianças, de 11 anos, e gravaram cenas de atos sexuais com a dupla para repassar ao advogado, que disseminava o conteúdo como material de pornografia infantil.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

As duas corporações agiram em conjunto já que as mulheres são de Mallet, cidade dos Campos Gerais que fica a cerca de 200 kms de Curitiba, e o advogado é de Natal, capital do estado potiguar.

De acordo com informações da Polícia Civil, o advogado, de 38 anos, aliciou as duas mulheres para que praticassem atos sexuais com as crianças, gravassem e transmitissem as imagens a ele. Uma das mulheres foi presa em dezembro do último ano e a segunda no dia 6 de fevereiro deste ano. O advogado foi preso no dia 7 de fevereiro.

As duas mulheres vão responder pelos crimes de estupro de vulnerável e pornografia infantil. Uma delas ainda deve responder por tentativa de homicídio. O jurista responderá por estupro de vulnerável, aliciamento de crianças para prática de atos libidinosos e pornografia infantil.

Francischini vence Nelson Justus pelo comando da CCJ