Laudo do Instituto de Identificação do Paraná apontou que não foram encontradas as digitais de Andrei Francisquini na arma que teria sido encontrada com ele após confronto que terminou com a sua morte em 12 de maio. Andrei morreu depois de uma perseguição que começou na Rua Vicente Machado e seguiu até a Praça da Espanha, no bairro Bigorrilho, em Curitiba.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

“Não foi revelado nenhum fragmento de impressão papilar”, apontou  o laudo do instituto. A análise foi feita em uma pistola, um carregador e em munições que os policiais envolvidos na ação disseram ter encontrado com Andrei.

Segundo resposta da Polícia Militar enviada ao portal G1, todos os fatos e informações relacionadas ao caso estão sendo apurados pelo encarregado do Inquérito Policial Militar (IPM), o qual está em andamento. “A PM reforça que busca o esclarecimento dos fatos e não emite juízo de valor durante a apuração para não influenciar no andamento do procedimento”, diz a nota da corporação.

Com doença rara, jovem precisa de ajuda pra comprar cadeira de rodas que custa mais de R$ 6 mil