enkontra.com
Fechar busca

Segurança

Livre

Conduta de acusado de matar Renata Muggiati “aumenta o descrédito do sistema penal”, diz MP

  • Por Redação / Tribuna do Paraná
Foto: Lineu Filho.

O médico Raphael Suss Marques novamente está na berlinda. Isso porque o Ministério Público do Paraná (MP-PR) reforçou, nesta terça-feira (12), o pedido de prisão preventiva contra ele, que é acusado de matar a namorada, a fisiculturista Renata Muggiati. Segundo o MP-PR, caso a Justiça negue este pedido de prisão, a decisão “fomentará o descrédito na Justiça e violência contra as mulheres”.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Renata Muggiati morreu em setembro de 2015, depois de supostamente cair do 31º andar de um prédio no Centro de Curitiba. Com as investigações, a polícia descobriu que não se tratava de um suicídio e sim de um assassinato, cometido pelo médico que era seu então namorado. Raphael é réu no processo e está em liberdade desde agosto de 2017, sendo monitoramento por tornozeleira eletrônica.

+Veja! Acompanhe tudo sobre o caso Renata Muggiati

O que fez o MP-PR apelar a Justiça pela prisão de Raphael foi o fato de que, em 23 de janeiro deste ano, o rapaz desobedeceu a uma das proibições que lhe foram impostas, a de frequentar bares e similares. Raphael foi flagrado num torneio de pôquer, em Curitiba, no mesmo dia em que apresentou uma justificativa, vista como falsa, para faltar em uma audiência do processo.

Conforme o que apurou o Ministério Público, que teve acesso às comandas de Raphael no local do torneio de pôquer, o rapaz chegou ao local por volta de 15h40 e foi embora cinco horas depois, já perto das 21h. Após a competição, no ranking Raphael apareceu em 5º lugar.

O pedido do MP-PR é para que seja revogado o benefício de liberdade e que Raphael responda ao processo preso definitivamente, através de prisão preventiva. Este pedido foi feito em 6 de janeiro pelo promotor Marcelo Balzer Correa, que argumentou que o apontado pela morte de Renata Muggiati não merece a liberdade.

+Leia mais! Roberto Aciolli é condenado a cinco anos pela morte de homem, mas não ficará preso

Mesmo sem uma manifestação da defesa de Raphael, que disse que não iria se pronunciar porque o processo segue em sigilo, a Justiça abriu prazo de cinco dias para que os advogados justificassem o que era alegado pelo MP-PR, mas isso não foi feito. Por conta dessa situação foi que o Ministério Público voltou a se manifestar, nesta terça-feira, sobre o assunto.

No pedido, além de destacar a violação do benefício, o promotor também reforça sua tese. “Tendo em vista a flagrante violação da benesse concedida e do total descaso de sua defesa ao não apresentar justificativa no prazo determinado, novamente comparece perante este Juízo, especializado no Direito da defesa da vítima mulher, visando a revogação da benesse concedida, pois caso contrário, além de fomentar e avalizar a fraude do monitorando, fomentará o descrédito na justiça e violência contra as mulheres”, disse o pedido do MP-PR.

+Viu essa? Vídeo mostra forte ressaca no Litoral. Ondas ficaram enormes!

Segundo o Ministério Público, para este tipo de criminalidade a reação do sistema penal não pode ser demorada. “Pois as medidas protetivas cautelares se demonstrou, nesse caso, fadada ao insucesso. A conduta do monitorando faz mais que aumentar o descrédito do sistema penal perante a sociedade. Aqui há que se dar exemplo forte de consistente, reproduzindo na população um sentimento de ‘BASTA'”.

Esta nova manifestação do Ministério Público ainda não foi respondida. Além disso, a defesa de Raphael novamente não se manifestou sobre a situação.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Curitiba ajuda gente sem condições financeiras a voltar para sua terra natal

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

4 Comentários em "Conduta de acusado de matar Renata Muggiati “aumenta o descrédito do sistema penal”, diz MP"


Marcelo  De Souza
Marcelo De Souza
2 meses 12 dias atrás

O dia que playboy ficar preso viro Atlético paranaense

José Augusto Tambosi
José Augusto Tambosi
2 meses 12 dias atrás

Só mais um prova de que: “Quem tem dinheiro aqui no nosso país não fica preso”, e ainda debocha da justiça. Vejam esse exemplo.

REINALDO  .
REINALDO .
2 meses 12 dias atrás

Está provado e comprovado que aplicou tudo quanto foi álibi, até forjou do IML, documentos com médicos, para se safar, ainda solto, queria saber se fosse um cidadão comum, certeza que estaria enjaulado

Capi Roto Galhardo
Capi Roto Galhardo
2 meses 12 dias atrás

O que esse cara está fazendo solto? Cospe na cara da Justiça e a juizada dá risada…

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas