O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) deixou o Complexo Médico Penal, em Pinhais, onde estava preso, na manhã desta sexta-feira (1º). Ele saiu em uma Mercedes branca, com os vidros levantados e não falou com a imprensa.

O tucano foi detido no último dia 25 no âmbito da Operação Integração – que investiga suposto esquema de propina nos pedágios do estado. Ele foi denunciado por corrupção passiva, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Em sua defesa, Richa alegou que os fatos que haviam embasado o pedido de prisão preventiva – extensível ao contador Dirceu Pupo Ferreira, ainda detido – eram antigos. O ministro João Otávio de Noronha, presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), concordou com as alegações ao determinar a suspensão da prisão e ainda oferecer salvo-conduto ao ex-governador e seu irmão, Pepe Richa, para que eles não sejam presos cautelarmente pela Integração, “exceto se demonstrada, concretamente, a presença de algum dos fundamentos admitidos pela legislação processual para a decretação de tal medida”.

O ex-governador saiu em uma Mercedes branca, com os vidros levantados e não falou com a imprensa. Foto: Cassiano Rosário/Gazeta do Povo.
O ex-governador saiu em uma Mercedes branca, com os vidros levantados e não falou com a imprensa. Foto: Cassiano Rosário/Gazeta do Povo.

A prisão do ex-governador foi decretada pelo juiz Paulo Sérgio Ribeiro, da 23ª Vara Federal de Curitiba. Nessa mesma vara, Beto Richa também é investigado na Operação Piloto – por suposto esquema de propina envolvendo a construtora Odebrecht em licitação das obras da PR-323.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

Volkswagen faz recall e destruirá carros vendidos por engano! Veja a lista!