Donos das bancas da Praça Rui Barbosa, no Centro, estão indignados com tanta violência. Na madrugada desta quarta-feira (28), duas delas foram vítimas de marginais, que quebraram as portas de vidro, roubaram produtos e até defecaram no local, deixando para trás um rastro de destruição e muitos prejuízos.

“Essa é a terceira vez que eles agem em menos de 30 dias, pois já tinham arrombado nossa banca no dia 29 de maio e também no dia 11 de junho. Aí colocamos monitoramento, câmeras de segurança, um rapaz pra cuidar de moto e até fizemos seguro, mas os bandidos não estão nem aí e continuam agindo”, contam os empresários Antônio Samuel Sousa Lima, de 24 anos, e sua esposa Rita de Kássia, 25.

De acordo com eles, dessa vez os criminosos chegaram por volta das 3h e quebraram um dos vidros do estabelecimento. “Só que eles deram de cara com a tela de proteção que colocamos e não conseguiram entrar. Então, fizeram as necessidades fisiológicas atrás da banca e foram invadir nosso vizinho”.

"Eles quebraram os vidros e levaram diversos produtos, dinheiro e ainda comeram aqui porque encontrei muitas embalagens pelo chão", disse Alexsandro. Foto: Átila Alberti
“Eles quebraram os vidros e levaram diversos produtos, dinheiro e ainda comeram aqui porque encontrei muitas embalagens pelo chão”, disse Alexsandro. Foto: Átila Alberti

Na segunda tentativa da madrugada, a gangue conseguiu agir e “fez a festa” às custas do empreendedor Alexsandro Mira de Oliveira, 40. “Eles quebraram os vidros, entraram na minha banca e levaram diversos produtos, dinheiro e ainda comeram aqui porque encontrei muitas embalagens pelo chão”, disse.

Essa situação o deixou ainda mais indignado porque mostra que os bandidos tiveram tempo para agir com tranquilidade. ‘A polícia demorou muito pra chegar, então os ladrões aproveitaram. O pior é que não foi a primeira vez porque estão roubando as bancas da praça toda semana. É como se eles soubessem que ficarão impunes‘, indigna-se o empresário, que teve um prejuízo superior a R$ 3 mil.

Clientes que passaram pela praça e viram a situação das bancas também ficaram revoltados. “Estamos sempre por aqui e sabemos que eles trabalham de segunda a segunda, sem intervalos, para conseguir o sustento. Aí os assaltantes vêm na calada da noite levar tudo o que o trabalhador conseguiu com seu suor. É um absurdo!”, afirmou Cristiane Nicolau, 47.

Por mais segurança

Bandidos tiveram tempo para agir com tranquilidade. Foto: Colaboração
Bandidos tiveram tempo para agir com tranquilidade. Foto: Colaboração

Diante do problema, os empresários solicitam mais segurança para que os arrombamentos sejam evitados. “Eu nem faço mais boletim de ocorrência porque desisti. O que precisamos é de policiamento nas ruas para inibir a violência e não deixar que casos como esse se transformem em rotina, algo que já está acontecendo aqui”, lamenta Alexsandro.

O pedido do casal Antônio e Rita é o mesmo. “Não adianta ter guardas na praça só durante o dia porque nossa banca sempre é assaltada de madrugada. Esperamos que algo seja feito pra mudar essa triste realidade”, pontuam.

De acordo com o 12.º Batalhão de Polícia Militar, responsável pela região, o policiamento tem sido realizado diariamente ao redor da praça em atendimentos a furtos, roubos, perturbação do sossego e, principalmente, situações que tragam perigo à vida. Para acionar a PM, basta entrar em contato pelo 190 ou ainda pelo 181.

Além disso, o local também conta com o trabalho da Guarda Municipal, que atendeu a situação de arrombamento às 3h24 desta madrugada. Segundo a instituição, dois inspetores da ronda noturna foram até a praça e constataram a situação das bancas danificadas. Os donos foram contatados e até agora nenhum suspeito foi preso.