Recife – Sete pessoas da seguradora Vera Cruz, incluindo cinco diretores, foram indiciadas hoje pela Polícia Civil de Pernambuco, pela prática de crime contra a economia popular, por não terem pago indenização prevista em contrato aos moradores do edifício Areia Branca, no bairro de Piedade, em Jaboatão dos Gurarapes.

O prédio, de 12 andares e 24 apartamentos, desmoronou há um ano, provocando a morte de quatro funcionários. O número de vítimas só não foi maior porque os moradores tinham desocupado o imóvel um dia antes, por recomendação do síndico, Celso Bezerra, depois foram ouvidos estalos no prédio.

A apólice estabelecia indenização de R$ 3 milhões, mas a seguradora justificou que contrato não previa cobertura em caso de desmoronamento do imóvel. A delegada de Repressão a Crimes contra o Consumidor, Nely Queiroz, disse que houve má-fé da seguradora. "O contrato apresenta brechas jurídicas para que a seguradora se isente da obrigação de pagar", destacou.

Os envolvidos vão responder ao processo em liberdade.