Elaborado com o objetivo de atenuar a valorização excessiva do real frente ao dólar, o pacote cambial anunciado hoje causou dúvidas entre analistas sobre o seu real poder de impacto na cotação da moeda norte-americana. Mas o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ter certeza de que as medidas vão conter o processo de valorização da moeda nacional.

"Certamente as medidas anunciadas terão impacto na taxa de câmbio. O quanto – eu não sei avaliar", disse Mantega. O governo segundo o ministro, não definiu um patamar para a taxa de câmbio e, por isso, não há como prever o quanto o dólar pode subir. "O câmbio é flutuante mesmo", afirmou. Confrontado sobre a valorização do real imediatamente após o início do anúncio das medidas, Mantega afirmou que o pacote cambial só terá efeito quando a Medida Provisória passar a vigorar.

O ministro previu que a possibilidade de o exportador fazer um fechamento de câmbio mais simplificado, permitindo uma entrada e saída no mesmo dia, também terá impacto na taxa de câmbio, na direção em que o governo quer.

Desde que assumiu o cargo, há quatro meses, o ministro da Fazenda não tem escondido a sua preocupação com a alta da cotação do dólar. No meio das turbulências do mercado financeiro internacional, quando a taxa de câmbio começou a subir temporariamente no Brasil, Mantega chegou a comemorar. Como arma contra a valorização do real, o Tesouro Nacional e o Banco Central têm comprado dólares e aumentado as reservas internacionais.