A segunda etapa da campanha de vacinação contra a paralisia infantil (poliomielite) será realizada no próximo dia 20. O objetivo do ministério da Saúde é vacinar mais de 17 milhões de crianças com até cinco anos de idade, em todo o país.

O secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Jarbas Barbosa, alerta que as crianças vacinadas na primeira etapa deverão receber uma nova dose. "A campanha é um complemento às doses da vacina que a criança recebe aos dois, aos quatro e aos seis meses de idade. A criança que recebeu a primeira dose deve tomar novamente e quem não compareceu na primeira etapa pode receber a vacina na segunda", explicou.

Segundo Jarbas Barbosa, os pais não precisam ter medo de reações à vacina: "Essa é uma vacina com pouquíssimas reações. Doenças que as crianças normalmente apresentam como febre, tosse ou diarréia não são motivos para não tomar a vacina". Em caso de dúvida, o secretário aconselha aos pais que levem a criança ao posto médico para uma avaliação.

Desde 1989 o Brasil não registra casos de paralisia infantil. Mas como a doença ainda não foi controlada em todo o mundo, é preciso manter a vacinação a fim de evitar possíveis contágios. "Um turista vindo de algum país que ainda apresenta casos da doença pode trazer o vírus para o Brasil e contaminar nossas crianças. Por isso precisamos manter as campanhas de vacinação. Caso o vírus chegue aqui, ele encontrará todos bem protegidos", disse Barbosa.