Terminou há pouco o depoimento de Gabriela Kênia Martins, secretária do presidente da Câmara, deputado Severino Cavalcanti (PP-PE), na Polícia Federal.

De acordo com o procurador da República, Alexandre Spinosa, que acompanhou o depoimento, a secretária contou que o cheque do empresário Sebastião Buani foi entregue a ela pelo filho do presidente da Câmara, Severino Cavalcanti Junior. O filho de Severino faleceu em 2002.

Segundo Gabriela, o dinheiro deveria pagar "dívidas de campanha". Hoje (14), Buani apresentou à PF a cópia de um cheque de R$ 7,5 mil nominal a secretária. Buani disse que entregou o documento pessoalmente a Severino, no próprio restaurante, quando ele era primeiro-secretário da Casa. A quantia teria sido paga como propina para a prorrogação da concessão do restaurante de Buani na Câmara.

"Ela excluiu Severino de tudo", disse Spinoza, que foi indicado pelo procurador geral da República, Antonio Fernando Souza para acompanhar o depoimento.