O presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, anunciou na abertura da IV Expo Brasil Desenvolvimento Local 2005, na noite desta quarta-feira (12), no Centro de Convenções do Ceará, a liberação de R$ 1,7 milhão da Instituição para a elaboração de uma proposta de política pública de desenvolvimento local. Na sua opinião, a criação de uma política pública possibilitará uma maior articulação e coordenação das várias ações e instituições envolvidas no desenvolvimento local.

Okamotto defendeu a necessidade de "se quebrar paradigmas" para massificar o processo do desenvolvimento local. A metodologia para se implementar um processo de desenvolvimento Local estabelece a participação da comunidade, reunida em fóruns, na definição das ações de desenvolvimento do município, depois de diagnosticados seus problemas e potencialidades pela própria comunidade.

O programa do Sebrae anunciado pelo seu presidente prevê a realização prevê a realização, em todas as regiões do País, de seminários e workshops para um amplo debate do processo de desenvolvimento local. Serão discutidos metodologia, casos concretos, erros e acertos do processo, trocas de experiências, de modo a se obter, em meados do próximo ano, uma proposta ampla e consistente para que os governos, nos seus três níveis ? federal, estadual e municipal ? adotem políticas de desenvolvimento local.

Depois de abrir a Expo Brasil de Desenvolvimento Local 2005, que reúne cerca de 2 mil participantes, a maioria dos chamados agentes de desenvolvimento (facilitadores, multiplicadores, gestores, agentes comunitários), Okamotto se reuniu com o governador do Ceará, Lúcio Alcântara, no Palácio de Iracema, sede administrativa do governo. Os dois participaram da assinatura de convênio entre o Sebrae no Ceará e a Secretaria do Trabalho e Empreendedorismo para instalar uma Central Fácil em Juazeiro do Norte.

Já funciona, há dois anos, em Fortaleza, uma Central Fácil, que, ao juntar num só local os órgãos federais, estaduais e municipais responsáveis pela abertura de empresas, agiliza a constituição delas. A Central Fácil de Fortaleza reduziu de 45 a 60 dias para até dez dias o prazo de criação de empresas e espera-se que tal rapidez venha ocorrer também na região de Juazeiro do Norte.

Paulo Okamotto também visitou o assentamento Che Guevara, no município de Ocara, a 100 quilômetros de Fortaleza, onde o Sebrae, em parceria com a Fundação Banco do Brasil, apóia a revitalização de uma minifábrica de castanha de caju, entre outras atividades.