Em uma partida horrível, o São Paulo apenas empatou por 1 a 1 com o Juventude e perdeu a liderança do Brasileirão para Cruzeiro e Internacional, que têm 21 pontos. O time tricolor está em terceiro, com 20. E se não fosse o juiz Lourival Dias Lima Filho, a partida teria terminado sem gols, já que ele foi fundamental para estragar o jogo que já era ruim.

As duas equipes iniciaram a partida jogando com três zagueiros e cinco homens no meio-de-campo. A criatividade foi superada pela marcação e nenhuma grande oportunidade ocorreu na etapa. Tanto que o goleiro Bosco só teve trabalho para cobrar tiro de meta.

Enquanto o São Paulo tentava abrir a defesa adversária na base dos chutes de longa distância, o Juventude usava os contra-ataques para tentar fazer o gol. E toda vez era parado com faltas. Na primeira etapa, o time tricolor fez praticamente três vezes mais faltas que seu rival: 23 contra 8 do Juventude.

Além das faltas, André Dias, Fabão e Júnior deixaram o gramado na primeira etapa com cartões amarelos, por entradas mais duras. Uma outra chance do São Paulo ocorreu aos 29, em um chute de Ricardo Oliveira, de longe, que passou com perigo. O Juventude também tentava o jogo aéreo, mas a defesa paulista não dava chances.

Na segunda etapa o São Paulo continuou nervoso. E isso não se resumia apenas às faltas. Aos 22, André Dias foi expulso e dez minutos depois foi a vez de Fabão ir para o chuveiro mais cedo. O time insistia nos chutes de longa distância, já que parecia não ter qualidade para criar jogadas melhores.

Mas o juiz parecia querer roubar a cena. Aos 9 minutos, ele anotou pênalti quando a bola tocou na mão de André Dias, mas acertadamente o auxiliar avisou que o toque foi fora da área. Só que, aos 38, Christian cabeceou, Bosco pulou para pegar a bola, mas Lino acertou o goleiro do São Paulo, que caiu. Éder Ceccon cabeceou para o gol e abriu o placar. Os jogadores do São Paulo reclamaram muito, mas de nada adiantou.

Com peso na consciência, Lourival Dias arranjou um pênalti para o São Paulo no final da partida. Lino chegou perto de Danilo, que se jogou. O árbitro marcou e Júnior correspondeu, empatando a partida, que teve um saldo de 61 faltas, sendo 39 cometidas pelo time tricolor.