Americana, 23 (AE) – Uma vitória fácil, de goleada, suficiente para comprovar a tese do técnico Oswaldo de Oliveira de que o Santos ainda pode alcançar o São Paulo na briga pelo título do Campeonato Paulista. Após a tranqüila goleada sobre o Rio Branco, por 5 a 1, o clima era de muita euforia entre os santistas, em terceiro lugar, com 21 pontos, ainda invicto. "Se tivéssemos aproveitado as chances de gols em Itu, a história também seria diferente", lembrou Oswaldo o empate com o Ituano, por 1 a 1, no domingo. O capitão Ricardinho também resumiu bem a importância da goleada: "Foi o ritmo de uma equipe que quer chegar".

A confiança também pode ser vista com Robinho, que continua brilhando. Ao marcar três gols em Americana se igualou a Finazzi, com nove, na artilharia da competição. "Se Deus quiser vamos ser campeões e ficarei contente se for também o artilheiro", comentou o matador santista. Na sua visão, o time foi muito bem, se movimentou bastante e, desta vez, marcou os gols. Em dez finalizações, marcou cinco gols, um excelente aproveitamento.

Outra vez, Basílio deixou sua marca. Ele marcou o segundo gol do time da Vila Belmiro, abrindo espaço para a goleada do seu time. Aos 34 minutos ele foi substituído por Rivaldo e saiu de campo muito aplaudido. "Acho que soubemos fazer os gols na hora certa e merecemos a vitória", disse.

Mas no próximo jogo o Santos não vai ter tanta facilidade, embora volte a atuar na Vila Belmiro. Domingo, às 16 horas, recebe o São Caetano, já considerado um adversário com histórias de rivalidades e confrontos equilibrados. Fora de campo, o volante Fabinho passou por uma cirurgia no joelho direito, em Campinas, nesta quarta-feira, com o especialista Wilson Mello. A artroscopia corrigiu um fragmento ossificado formado na bolsa acima da rótula. A previsão de retorno é de três semanas.

Crise à vista – Perder para o Santos é normal, mas de goleada sempre é mais difícil. O problema do Rio Branco é que esta foi a quarta derrota consecutiva no Paulistão, o que pode detonar uma crise. A diretoria, porém, sabe das limitações de seu time, montado com uma verba reduzida, mas pode ceder e até promover mudanças na comissão técnica. "Até mostramos bom futebol, mas o Santos teve superioridade técnica", reconheceu o técnico Luís Carlos Cruz, que esperava um outro presente para comemorar o seu aniversário – ele completou 41 anos. A chance de recuperação, agora, acontecerá domingo quando enfrentará o lanterna Atlético, mas em Sorocaba.