Em parceria com a Universidade Federal do Paraná e o apoio do IAP ? Instituto Ambiental do Paraná, a Sanepar deu início nesta segunda-feira (12) ao curso de viveirista para internos da Colônia Penal Agrícola. O curso está sendo dado na Fazenda Cangüiri, da Universidade, e termina nesta terça-feira (13).

Os 23 detentos recebem noções básicas sobre técnicas de produção de mudas florestais nativas. Segundo a engenheira Mayra Rochavetz de Lara, da Sanepar, o curso visa melhorar o viveiro da Colônia Penal. ?A produção de mudas também vai auxiliar o Governo do Estado a atingir a meta de 90 milhões de árvores nativas plantadas no Paraná até o final deste ano?.

Mayra destaca que os participantes também terão uma formação de preservação do meio ambiente. Todo detento terá um certificado de formação. Esta atuação auxiliará no cumprimento da pena. ?Para cada 3 dias trabalhados, há redução de um na pena?. O professor Fernando Grossi, responsável pelo conteúdo do curso, acredita que ?esta parceria entre Sanepar e Universidade vai colaborar com a Colônia Penal, difundindo conhecimento e auxiliando na conscientização ambiental?.

Profissão e inclusão 

O agente penitenciário Dirceu Pinheiro, que trabalha há 18 anos na função, destaca a importância de ações como esta. ?Além de agir como um fator de inclusão social e profissional, os detentos ficam mais tranqüilos. Cursos assim ajudam na saúde mental e psicológica deste pessoal?.

O detento Cleverson Euzébio, 22 anos, está feliz em participar do evento. ?Olha, a rapaziada está mais confiante. A motivação é total porque sairemos daqui com a possibilidade de trabalharmos como viveiristas, além de ajudar na recuperação do meio ambiente?, comemora.