O Brasil tem 46 milhões de pessoas sem acesso a saneamento básico. A informação é da Organização Mundial da Saúde (OMS), que ontem publicou um relatório sobre a situação no mundo. Os governos assumiram em 2000, nas "Metas do Milênio", o compromisso de reduzir pela metade até 2015 o número de pessoas sem acesso a água potável e a saneamento básico.

O País atingiu a meta de acesso à água dez anos antes do prazo. Em 1990, 83% da população tinha esse benefício. A meta era chegar a 88% em 2015, mas em 2004 o País já apresentava uma taxa de 90%. O problema está, porém, no saneamento. Em 1990, 71% da população tinha acesso ao serviço e, 15 anos depois, 75%. O País não atingirá a meta de 80% mantendo o ritmo atual de investimentos.

O caso mais grave é no campo, onde só um terço da população conta com saneamento básico. A taxa é a mesma de 1990. Na África 37% da população tem acesso a saneamento, pouco mais que a taxa registrada na zona rural brasileira.