Brasília – Soja e milho foram as culturas mais prejudicadas pelas adversidades climáticas, segundo levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O excesso de chuvas causou perdas à soja em Mato Grosso, maior produtor nacional do grão. Já a estiagem no Sul e no Mato Grosso do Sul provocou quebra na produção de milho. Os dados são do acompanhamento de safra realizado nesta semana. A quantificação das perdas será apurada durante a pesquisa de campo, que ocorre de 11 a 17 de abril.

Segundo a Conab, além dos prejuízos causados por fatores climáticos, os produtores do Centro-Oeste vão sofrer com quebras devido à ferrugem asiática. No terceiro levantamento, a companhia apontou uma safra de 57,7 milhões de toneladas do grão.

Outra lavoura com perda é o milho, devido à escassez de chuva. No Rio Grande do Sul, há elevado índice de quebra na produção nos municípios de São Luiz Gonzaga, Canguçu e Arroio do Tigre. Em Santa Catarina, as regiões mais atingidas são as de Lages a Campos Novos e do Alto do Vale do Itajaí.

O milho safrinha também tem sido prejudicado, pois a falta de chuva atrasou o plantio, que se encerra neste mês. Segundo a Conab, a área plantada deverá ser inferior à safra passada.

A primeira e segunda safra de feijão também foram afetadas pela chuva superior à média. Na região Nordeste, os primeiros cultivos foram perdidos. As demais culturas não apresentaram alterações nas estimativas iniciais de produção.

Com informações são do Ministério da Agricultura