Durante a solenidade de abertura do seminário "Oportunidades de Novos Negócios entre Brasil e Portugal" que se realiza no Hotel Meridien, nesta cidade, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva incentivou os 100 pesos-pesados da economia de Brasil e Portugal presentes ao evento a investirem nos dois países, destacando que as relações entre ambos ultrapassaram os discursos bem intencionados.

Em pronunciamento escrito que leu antes de falar de improviso, Lula fez um balanço dos dois anos de seu governo que se passaram desde julho de 2003, quando esteve pela última vez em Portugal, lembrando que, nesse ínterim, foram aprovados, pelo Congresso brasileiro, a Reforma Tributária, a Lei de Falências e o projeto das Parcerias Público-Privadas PPPs, além de ter sido implantada pelo governo uma política de desenvolvimento sustentável e de distribuição de renda. "O Risco País diminuiu, recuperamos reservas, podemos prescindir de um novo acordo com o FMI e, graças a várias medidas adotadas pelo governo, as exportações alcançaram recorde", comemorou.

Em seu pronunciamento, Lula insistiu em que a política comercial brasileira não é excludente. "Não vamos nos mover por fatores ideológicos, mas sim por fatores pragmáticos", assegurou.

Depois de observar que a afirmação de que Portugal é porta de entrada para produtos brasileiros na Europa, Lula disse que a recíproca é verdadeira, pois o Brasil também é porta de entrada de Portugal para o Mercosul e que Portugal.