Frank Rijkaard, treinador do Barcelona, tentou responder nesta sexta-feira (6) às especulações sobre a ausência de Samuel Eto’o na partida deste sábado contra o Zaragoza, afirmando que se trata de um "afastamento médico" que nada tem a ver com os gritos racistas que o camaronês ouviu na temporada passada no estádio La Romareda.

O técnico holandês disse que o atacante sentia dores há vários dias e que no treino de quinta "trabalhou com o freio de mão puxado, sem sua aceleração habitual".

Embora Rijkaard tenha sido questionado sobre os incidentes ocorridos no ano passado no jogo entre Zaragoza e Barcelona, quando Eto’o esteve a ponto de abandonar a partida devido a insultos racistas, o treinador insistiu em que o jogador não viajará para Zaragoza "porque não está pronto para jogar e, portanto, está de licença médica".