As atividades produtivas geradoras de emprego e de renda nos bairros de Curitiba terão de agora em diante o apoio da Prefeitura, através do programa Bom Negócio, mais um compromisso de governo do prefeito Beto Richa, que chega à comunidade em pouco mais de três meses de gestão. O prefeito fez o lançamento do programa na noite de quarta-feira (6), junto a dezenas de lideres comunitários, representantes de entidades parceiras da Prefeitura e autoridades.

Na solenidade de lançamento, na Paróquia Santo Antônio de Orleans, na BR 277, o prefeito anunciou que o projeto piloto começa a ser implantado no Jardim Gabineto, na CIC. Na seqüência, ele será implantado em outros bairros.

"A Prefeitura deve ser facilitadora de oportunidades de trabalho e rendimento para os chefes de família", disse Beto Richa. "Precisamos capacitar as pessoas, qualificar mão de obra para o mercado de trabalho, oferecer condições para que o cidadão não precise depender do poder público", afirmou.

O projeto, explicou o prefeito, integra a política de apoio às comunidades nos bairros. "Queremos dar suporte para que as próprias comunidades descubram suas aptidões, articulando ações para o desenvolvimento de suas regiões", disse o prefeito.

O Bom Negócio apóia principalmente os micros e pequenos negócios, incentivando a regularização das empresas que trabalham na informalidade. Lucimar Simplício de Oliveira, que há 16 anos trabalha com a comunidade do Jardim Gabineto, está confiante que o novo programa venha a mudar o bairro onde mora.

"O trabalho da Prefeitura vai ajudar nossa comunidade, que é bastante carente. Com certeza, poderemos descobrir coisas que podemos fazer, o que ajudará a garantir emprego e renda no nosso bairro", afirmou. Ela contou que conhece muitas pessoas, principalmente mulheres, que têm sonhos, são batalhadores, mas não têm recursos e apoio para que desenvolvam alguma atividade.

Neste mês, Lucimar e os muitos outros moradores do Jardim Gabineto vão assistir palestras sobre empreendedorismo, relações interpessoais, resolução de conflitos e qualidade de vida. Depois, as pessoas interessadas terão acompanhamento técnico para que se sintam capazes de sustentar ou até criar novos empreendimentos. Este trabalho será desenvolvido por professores da FAE Business School, uma das parceiras no programa.

A partir do conhecimento que adquirir com o Bom Negócio, Lucimar sonha em formar uma cooperativa de mulheres artesãs. "Faço pintura, crochê e trabalhos em parafina. Quero aprender aqui, levar para a comunidade e organizar uma entidade que nos ajude a sustentar nossas famílias", explicou.

Juraci Barbosa Sobrinho, presidente da Companhia de Desenvolvimento de Curitiba – Curitiba S.A., diz que o Bom Negócio é importante para a organização das comunidades. "O desenvolvimento da economia da cidade, com aumento de emprego e renda, depende da solução de problemas a partir dos bairros. Por isso, queremos incentivar as pessoas para que elas busquem resolver as dificuldades existentes onde vivem", comentou.

Neste primeiro momento, a Igreja está sendo parceira no programa, servindo como ponto de concentração comunitária para o desenvolvimento das atividades. Nesse local, lideranças, representantes de empresas e instituições e moradores do entorno se reúnem para articular ações. Futuramente, o programa será levado para outros bairros de Curitiba, tendo as escolas como ponto de encontro.

Além da igreja e da FAE, o Programa Bom Negócio tem como parceiros para sua implantação e desenvolvimento, o Sebrae, Senai, Senac, Associação Comercial do Paraná (ACP), Federação do Comércio (Fecomércio), Federação das Micro e Pequenas Empresas do Paraná, além de diversos órgãos da administração municipal.