O presidente licenciado do PT, deputado Ricardo Berzoini (SP), afirmou nesta terça-feira (7) que vai voltar à presidência da legenda em breve. Licenciado por causa da suspeita de que sabia da tentativa de um grupo de petistas de comprar um dossiê contra tucanos, dias antes do primeiro turno das eleições, Berzoini disse que vai cobrar o mandato que obteve no ano passado e que termina em 2008 e que fará isso apesar da pressão de petistas e do próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva por mudança na direção do PT.
"Não coloco a discussão nesses termos. Tenho mandato que foi constituído pelas urnas. O mandato é a minha referência", afirmou Berzoini, em resposta a uma pergunta sobre a possibilidade de reassumir o cargo mesmo contra o desejo de Lula e de setores que defendem a renovação partidária. "Isso não é ir para o pau, é uma questão partidária", definiu.

Berzoini disse que seu afastamento da presidência do PT foi para cumprir um "objetivo tático" de não prejudicar a reeleição do presidente Lula e que sua volta ao cargo não depende do resultado do inquérito da Polícia Federal que apura o episódio da compra do dossiê. "Não condiciono a minha volta ao resultado do inquérito, mas a ter essa apuração concluída. O inquérito não condena ninguém, no máximo indicia", afirmou
O deputado não especificou em qual data poderia reassumir a presidência do PT. "Minha avaliação é de que vamos resolver isso logo", disse. Desde que Berzoini se licenciou do cargo, a presidência do PT está sendo exercida interinamente por Marco Aurélio Garcia, vice-presidente da legenda.