O presidente Luiz Inácio Lula da Silva não esconde a confiança cada vez mais forte na vitória nas urnas. Em almoço nesta quarta-feira (6) com empresários do setor do turismo, ele já fez planos para os próximos quatro anos. "Todos os números indicam que terei um segundo mandato", afirmou, segundo relataram participantes do encontro. "Terei condições de dar seqüência ao que tem sido plantado agora.

No almoço, na casa do ministro das Comunicações, Hélio Costa, o presidente minimizou o crescimento de apenas 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre. "Não estou preocupado com números, o que se vê é que o País está crescendo e o povo tem percepção disso", ressaltou.

Em 15 minutos de discurso, o presidente defendeu a "continuidade" das ações do governo e assegurou que vai trabalhar para capacitar a mão de obra no setor e facilitar a desregulamentação de entrada de turistas estrangeiros. O presidente avaliou que o tempo no poder não foi suficiente para desenvolver as ações que considera necessárias. "Um mandato de quatro anos é curto.

O presidente também comentou a situação da Varig, após ouvir reclamações dos empresários de que o setor não assimilou a queda da companhia. "É preciso resolver essa questão da malha aérea, porque o brasileiro tem direito de ir e vir", disse. Ele voltou a defender a criação de um canal de televisão internacional para divulgar o turismo brasileiro na Europa e nos Estados Unidos, por meio de uma Parceria Público Privada. O almoço durou cerca de três horas. Também participaram do encontro, os ministros Luiz Marinho (Trabalho), Dilma Rousseff (Casa Civil) e Walfrido dos Mares Guia (Turismo).

Lula também comemorou a aprovação ontem, na Câmara dos Deputados dos projetos da Lei Geral da Microempresa e da Timemania. "Quando as pessoas querem, as coisas acontecem no País", disse. "A aprovação da Lei Geral da Micro e pequena empresa era uma necessidade nacional", completou. O presidente afirmou que fará um apelo ao presidente do Senado, Renan Calheiros, para votar o projeto. "Quando foi aprovado o projeto na Câmara, eu coloquei as mãos para o céu para rezar", contou. Sobre o projeto da Timemania, que irá garantir recursos para clubes de futebol, o presidente avaliou que a proposta "salvará" os times.

Lula disse que o governo dele valorizou o setor do turismo com a criação de um Ministério especial. "Depois que criamos o Ministério, o turismo passou a ser tratado como indústria, com política de Estado", destacou. "A reunião com os empresários do turismo serviu para colher um pouco o sucesso que o setor tem tido", informou.