A Declaração Ministerial de Miami, que teve a sua divulgação antecipada para a noite de ontem, ratifica a posição brasileira de dar início ao processe de negociação para a formação da Área de Livre Comercio das Américas (Alca) de maneira flexível e equilibrada. A declaração é fruto da VIII Reunião Ministerial da Alca, que deveria terminar hoje, mas como ontem mesmo já havia consenso em torno do documento, os co-presidentes Celso Amorim, ministro das Relações Exteriores do Brasil, e Robert Zoellick, representante do comércio dos Estados Unidos, resolveram antecipar o encerramento.

O documento traz diretrizes genéricas e transfere para a próxima reunião do Comitê de Negociações Comerciais (CNC), no próximo ano, o detalhamento de cada um dos temas: acesso a mercados; agricultura; serviços; subsidios, antidumping e direitos compensatórios; compras governamentais; propriedade intelectual; política de concorrência; e soluções de controvérsias. O maior avanço relaciona-se às negociações do acesso a mercados, que deverão ser concluídas até setembro de 2004. (Correio Web)