O governador Roberto Requião anunciou que irá enviar para a Assembléia Legislativa nos próximos dias projeto de Lei pedindo autorização para a compra da parte da El Paso na Usina Termelétrica de Araucária – UEGA. ?Poderia não ser assim. Mas eu faço questão de que no nosso Governo tudo seja transparente, esmiuçado, discutido pela imprensa, pelos deputados, pelos técnicos em avaliação de empresas. O Paraná joga limpo, mas joga a favor da nossa gente?, justificou Requião.

Na última segunda-feira (06), no Rio de Janeiro, o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli de Azevedo, firmou um Termo de Consentimento de Transferência de Quotas concordando com a compra, pela Copel, da parte da norte-americana El Paso no capital da UEG Araucária.

A compra da parte da El Paso resultará no aumento da participação da estatal paranaense na UEG Araucária, mediante o pagamento do equivalente a US$ 190 milhões (valor do investimento da El Paso na Usina), dos atuais 20% para 80%. A Petrobras permanece com os 20% das ações que já tem. ?Será a valorização da nossa empresa, a Copel, que é uma referência para o Brasil de que vale a pena resistir, negociar e defender à exaustão os interesses da nossa gente?, afirmou Requião.

O governador explicou que a UEGA vai atender necessidades nacionais que venham a surgir por racionamento de energia, por exemplo. ?Ela não é uma usina que deva entrar em funcionamento amanhã. Ela tem que sofrer algumas modificações e será uma usina flex, ou seja, vai operar com diesel e com gás. E vai operar quando se fizer necessária?, explicou.

Requião também lembrou que o Paraná hoje tem auto-suficiência em energia elétrica. ?Inclusive, no próximo semestre, eu inauguro a segunda etapa do complexo do Rio Jordão. Já inaugurei Santa Clara, acrescentando no sistema nacional mais 120 megawatts. Dentro de mais alguns meses, agregaremos potência idêntica com o início de operação da Usina Fundão?, adiantou.

Dívida

Na segunda-feira (06), o governador também assinou os termos do acordo entre Copel e Petrobras para pagamento da dívida referente ao suprimento de gás natural para a Usina Termelétrica de Araucária. O valor corrigido do débito é de R$ 750 milhões, mas o Governo conseguiu reduzir o valor para R$ 150 milhões, que serão pagos em 60 parcelas, com início em janeiro de 2010.

A dívida tem origem tem origem nos contratos firmados pelo governo anterior para o abastecimento da usina com gás natural boliviano que traziam a cláusula ?take or pay?, pela qual o volume de combustível contratado deveria ser pago mesmo que não fosse utilizado. ?O Paraná está mostrando um caminho duro, difícil. Essa questão da UEGA com a El Paso foi trabalhosa e trabalhada. Mas chegamos a um bom termo, com um bom acordo?, finalizou o governador.