O representante do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e coordenador do Sistema ONU no Brasil, Carlos Lopes, afirmou que o ano de 2004 foi muito bom para as relações entre o Brasil e as Nações Unidas. "A agenda internacional do presidente Lula tem grande visibilidade nas questões da fome e da miséria. O Brasil está de parabéns por uma relação muito intensa com a Organização das Nações Unidas em 2004", disse ele, em entrevista ao programa Revista Brasil da Rádio Nacional AM.

Segundo Carlos Lopes, o país obteve grande avanço nas parcerias com o setor privado sobre a responsabilidade social. "O Brasil este ano atingiu o número máximo de empresas participantes", disse Lopes. Ele destacou também o fato de o encontro da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) ter se realizado em São Paulo, em junho deste ano, e o "desempenho brilhante" do embaixador brasileiro Rubens Ricúpero, secretário-geral do órgão. Ricúpero deixará a secretaria-geral da Unctad no início de 2005, ele deixará Genebra, na Suíça, e voltará para o Brasil. A Conferência em São Paulo foi o mais importante evento internacional no país desde a Conferência da ONU sobre o Meio Ambiente, a Rio-92.

Carlos Lopes lembrou que haverá uma série de conferências das Nações Unidas no Brasil em 2005, entre elas o encontro sobre as Águas Internacionais, que será realizado em Foz do Iguaçu, no Paraná. Ele ressaltou que, também no próximo ano, a reforma das Nações Unidas estará na pauta, e "certamente o Brasil tem interesse nas discussões sobre o aumento dos membros permanentes do Conselho de Segurança".

Para ele, faltava uma liderança moral por parte dos países em desenvolvimento, e o Brasil, não só por suas relações com países como Índia e África do Sul, ganhou a simpatia das Nações Unidas por querer construir a solidariedade.