O rendimento real do trabalhador brasileiro – medido nas seis principais regiões do país envolvidos na Pesquisa Mensal de Emprego do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) – cresceu 2,6% em novembro deste ano em relação a novembro do ano passado. Segundo o IBGE, em novembro o rendimento médio real do trabalhador foi de R$ 904,70, aproximadamente 3,5 salários mínimos, não registrando variação estatisticamente significativa em relação a outubro.

São Paulo pagou em novembro o maior salário do país: rendimento médio real de R$ 1.037,50; seguido de Porto Alegre (R$ 908,40); e Rio de Janeiro (R$ 862,80). O menor salário real médio de novembro foi pago na região metropolitana de Recife: R$ 619,90.

Em novembro deste ano, o salário médio real do trabalhador com carteira de trabalhado assinada no setor privado era de R$ 916,40 ? uma variação anual positiva de 0,2%, mas um valor 0,3% inferior ao pago em outubro. Já o trabalhador sem carteira assinada no setor privado recebia R$ R$ 608,70, crescimento de 4,4% no ano e de 7,0% em relação a outubro. Os trabalhadores por conta própria recebiam R$ 704,70. Neste caso queda de 0,4% sobre o mês anterior e crescimento de 3,8% no ano.