O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu há pouco
ponderação aos parlamentares, ao perceber o acirramento das posições de
governistas e opositores no plenário do Congresso, onde foi lido o requerimento
de criação da CPI dos Correios. "Há excesso de destempero de todos os lados. Os
excessos e radicalismos não são bons conselheiros", advertiu Renan, observando
que "o País atravessa uma circunstância política delicada que, embora incômoda,
é superável".

Renan disse que o Congresso estaria muito mais próximo de
uma "crise colocada pela retórica" do que de uma crise de fato, afirmando que as
instituições brasileiras "estão sólidas". Depois de dizer que o País já passou
por períodos muito mais difíceis e não parou, o presidente do Congresso apelou
para que todos se lembrem de uma agenda, que é da sociedade brasileira: a
reforma do Judiciário, as mudanças econômicas e as alterações dos regimentos
internos da Câmara e do Senado. "Vamos cumprir nosso papel com equilíbrio e
isenção!", conclamou.

Antes desse pronunciamento, Renan havia tentado
manter o comando de uma sessão que beirava o tumulto, com diversos pedidos para
falar, e dirigia a sessão com dificuldade.