Ficou para a semana que vem a apresentação do relatório final da CPI dos Correios. O texto, que terá entre 1,5 mil e 2 mil páginas, vai propor o indiciamento de mais de cem pessoas envolvidas no escândalo do mensalão, entre elas ex-dirigentes do PT, além de descrever a origem dos recursos que abasteceram as contas do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza.

No rol dos indiciados, o ex-secretário geral do PT Silvio Pereira, que viu sua situação agravada com a divulgação pela Agência Estado, ontem, de auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) em um dos contratos da Petrobrás com a GDK. A auditoria detectou superfaturamento de US$ 23,1 milhões (cerca de R$ 48 milhões). A GDK presenteou Sílvio Pereira com um jipe Land Rover.

O relatório final vai apontar que uma conta de Valério no Banco Rural, chamada de "conta pulmão", movimentou R$ 30 milhões e serviu para alimentar o esquema montado para pagar parlamentares em troca de apoio ao governo. "Essa conta pulmão foi usada para alimentar outra conta, chamada de mãe, que servia para o mensalão", afirmou hoje o relator da CPI dos Correios, deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR). "Essa conta era a que abastecia a conta dos sacadores", explicou o sub-relator de movimentação financeira, Gustavo Fruet (PSDB-PR). Segundo ele, na "conta pulmão" aparecem recursos de empresas públicas e privadas, como a Usiminas.

Osmar Serraglio passou o dia hoje tentando fechar em que tipo de crimes serão enquadradas as mais de cem pessoas que terão seus pedidos de indiciamento feitos ao Ministério Público. Os 19 parlamentares envolvidos no mensalão e que tiveram seus nomes enviados para o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, em agosto do ano passado, terão seus pedidos de indiciamento por crime eleitoral e corrupção passiva. O relator pretende analisar o processo dos deputados já julgados pelo Conselho de Ética para embasar o pedido de indiciamento. A CPI dos Correios vai pedir a condenação mesmo daqueles parlamentares que renunciaram ao mandato – Valdemar Costa Neto (PL-SP), Paulo Rocha (PT-PA) e José Borba (PMDB-PR) – como daqueles que já foram absolvidos pelo plenário da Câmara.

Além dos deputados e Silvio Pereira, o relator também pretende propor o indiciamento dos ex-ministros José Dirceu e Luiz Gushiken e outros ex-dirigentes petistas. A CPI dos Correios também vai pedir a condenação do ex-presidente do PT José Genoino e do ex-tesoureiro Delúbio Soares.

No texto final, que deverá ser apresentado no dia 29, o relator vai citar o nome do presidente Luiz Inácio Lula da Silva Serraglio pretende descrever o episódio em que Lula foi avisado sobre a existência do mensalão pelo ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ). Na ocasião, o presidente pediu que o então ministro da Articulação Política e hoje presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PC do B-SP), e o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) tomassem providências e investigassem a denúncia. Fábio Luís Lula da Silva, filho do presidente Lula, também será citado no relatório da CPI dos Correios. O sub-relator de fundos de pensão, deputado Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), vai pedir que seja investigado o contrato de R$ 5 milhões da Gamecorp, empresa da Fábio Lula, com a Telemar.