O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, anunciou hoje a liberação de R$ 400 milhões para a reforma agrária. O valor liberado é parte dos R$ 2 bilhões que foram contingenciados do orçamento inicial de R$ 3,7 bilhões do Ministério do Desenvolvimento Agrário e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) para este ano. O ministro deu a informação durante encontro com o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag), Manoel dos Santos.

Segundo Rossetto, os recursos vão assegurar a continuidade do programa de reforma agrária, além de aumentar a confiança na liberação pelo governo da outra parte do orçamento prevista para 2005. "Estamos descontingenciando uma parte, mas o diálogo seguirá até que seja assegurada a totalidade dos recursos. E essa iniciativa traduz a grande preocupação do governo com esta agenda de desenvolvimento rural", afirmou o ministro.

Para Manoel dos Santos, o valor liberado é pouco e só garantirá a continuidade da reforma até junho. "O Brasil precisa da suspensão do corte de mais de 50% do orçamento para a reforma agrária e do avanço operacional para garantir o cumprimento das metas", disse ele. A meta do governo para este ano é beneficiar 115 mil famílias, além de aumentar o financiamento da produção dos trabalhadores assentados.

O tema principal do encontro entre o ministro Rossetto e o presidente da Contag foi o projeto do governo, incluído no Plano Nacional de Reforma Agrária, para regularização e disponibilização das áreas federais da Amazônia e de outras regiões do país aos agricultores. "Queremos permitir melhor ordenamento do território, colaborar com uma estratégia de desenvolvimento para a Amazônia em um ambiente de legalidade, paz e estabilidade", destacou o ministro.