O presidente da Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs), Paulo Schmidt, explicou aos participantes do Fórum Transporte Curitiba, nesta quinta-feira (3), a evolução do transporte coletivo nos últimos 18 meses, período em que o prefeito Beto Richa determinou a adoção de diversas medidas para baratear a tarifa de ônibus e melhorar o serviço oferecido à população. Um dos principais resultados foi o aumento no número de passageiros de ônibus, que registrava quedas sucessivas há dez anos.

"O número de passageiros encolheu 8% na última década, mas no ano passado conseguimos inverter essa tendência de queda e registramos um aumento de 3,5%, um sinal de que a tarifa mais acessível pode impedir a exclusão dos passageiros de menor renda", afirmou Schmidt.

A Rede Integrada de Transporte (RIT), formada por Curitiba e mais 13 municípios vizinhos e gerenciada pela Urbs, transporta atualmente 2 milhões de passageiros por dia, dos quais 1,1 milhão são pagantes. Schmidt acredita que, com as melhorias planejadas pela Prefeitura de Curitiba para o transporte urbano, esse número pode aumentar gradativamente e recuperar a queda dos últimos anos.

Segundo o presidente da Urbs, existe uma tendência nos países desenvolvidos de redução no uso do transporte coletivo. "Na Europa, apenas 17% dos deslocamentos diários da população são feitos com o transporte coletivo. Nos Estados Unidos esse percentual é ainda pior, cai para 13%. Em Curitiba, ainda temos 45% dos deslocamentos feitos com o ônibus", informa Schmidt.

Para atrair novos passageiros, a Prefeitura de Curitiba planeja melhorar a infra-estrutura e o desempenho do transporte coletivo. Entre as ações previstas para começar ainda neste ano, estão as obras do Eixo Metropolitano na antiga BR-116, a construção de binários de trânsito, a reconstrução e a reforma de terminais. O "Ligeirão" é outro projeto da administração municipal para ganhar velocidade nas canaletas, desalinhando as estações-tubo e permitindo a ultrapassagem dos ônibus biarticulados. O primeiro eixo de canaletas será o da Marechal Floriano Peixoto, por onde o "ligeirão" vai ligar o Boqueirão ao Centro em apenas 18 minutos.