Os controladores de vôo deixaram a reunião com o ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, muito preocupados com a postura do governo de recuar na decisão de negociar com a categoria. Segundo um dos controladores, há apreensão muito grande por parte deles em função do clima da reunião de negociação e temem que sejam determinadas prisões. Ele advertem que esse clima atrapalha o bom andamento dos trabalhos nos centros de controle. "Não vamos conseguir nos concentrar no trabalho e isso é muito perigoso. Há uma forte pressão psicológica", afirmou um controlador.

Por sua vez, o ex-presidente da Associação dos Controladores de Vôo do Brasil, Ulisses Fontenele, disse que os controladores só vão se pronunciar depois da conversa com o ministro Paulo Bernardo, que esperam que sejam retomada hoje à tarde, depois que ele retornar do Palácio do Planalto. "Esperamos voltar a conversar com ele ainda hoje", disse Fontenelle.