As facções em conflito na Libéria assinaram hoje um acordo de armistício que permitirá a formação de um Governo de transição e porá fim a uma guerra civil que remonta à década de 1990.

Representantes do Governo interino liberiano, chefiado pelo presidente Moses Blah, e dos grupos rebeldes Liberianos Unidos para a Reconciliação e a Democracia (Lurd) e Movimento para a Democracia na Libéria (Model), assinaram o pacto em Acra, Gana, na presença do presidente do país, John Kufuor.

Kufuor é também o atual presidente da Comunidade Econômica de Estados da África Ocidental (Cedeao), sob cuja mediação e a ajuda da ONU ocorreram as negociações de paz da Libéria.

O acordo diz que o chamado Governo Nacional de Transição da Libéria (NTGL, em inglês) será composto de um presidente, um vice-presidente e 76 ministros e vice-ministros.

As pastas serão ocupadas por doze candidatos do Governo de Blah e o mesmo número para o Lurd e o Model, dezoito para os partidos políticos, sete para a sociedade civil e quinze para a mesma quantidade de distritos do país.

O presidente e vice-presidente do NTGL serão escolhidos pelos delegados nas conversações de Acra em votação organizada e supervisionada pela Cedeao, ONU, União Africana (UA), União Européia (UE), e Grupo Internacional de Contato com a Libéria (ICGL). (Com informações do Terra)