O delegado Sérgio Sirino, do Núcleo de Repressão aos Crimes Econômicos (Nurce), ouviu no Rio Grande do Sul o depoimento do argentino Carlos Zicavo, ex-sócio do Totobola, e de Geraldo Carvalho, ex-gerente do Totobola no Brasil. Os dois reafirmaram a possibilidade de fraude nos resultados do jogo Totobola e as denúncias contra Mário Alberto Charles, atual dono do jogo. Segundo o delegado Sirino, a polícia tem agora uma pista para descobrir o destino dos R$ 150 milhões arrecadados com o Totobola em todo o Brasil.

Segundo os depoentes, o dinheiro teria saído do Estado gaúcho e estaria aplicado em ações na bolsa de valores de Nova Iorque. “Como evasão de divisas é um crime federal, a investigação desta denúncia é de responsabilidade das instituições judiciais da União. Mas a declaração mostra como o esquema é complexo”, disse o delegado. O Ministério Público Federal do Rio Grande do Sul está investigando as remessas de dinheiro ao exterior.