Quatro trabalhadores morreram neste domingo em um acidente de caminhão no município de Rondon, no Pará. Eles faziam parte de um grupo mantido em regime de escravidão em três carvoarias. De acordo com a assessoria do Ministério do Trabalho e Emprego, o aliciador dos trabalhadores, Sérgio Venturini, tentou retirar os carvoeiros do local antes da chegada do Grupo Especial de Fiscalização Móvel.

Um dos caminhões contratados por Venturini capotou com 14 trabalhadores. No acidente, morreram quatro pessoas, entre elas uma mulher. O Grupo Especial conseguiu libertar 59 trabalhadores. A equipe, composta por auditores-fiscais do trabalho, policiais federais e um procurador do trabalho, permanece na região providenciando o levantamento das indenizações trabalhistas.

Um levantamento da Secretaria de Inspeção do Trabalho e da Comissão Pastoral da Terra mostra que o Pará foi o estado com o maior número de trabalhadores escravos libertados entre 1995 e 2003. Cerca de 4,6 mil pessoas foram encontradas submetidas a essa condição.