A população de idosos no Brasil já é maior do que na Inglaterra, França e Itália. Em 2003, segundo estudo divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 16,7 milhões de brasileiros tinham mais de 60 anos – quase 10% da população.

O levantamento aponta o Rio de Janeiro como o estado com o maior número de idosos. São quase dois milhões de pessoas com 60 anos ou mais, ou seja, 12,7% de uma população de 15 milhões. O Rio Grande do Sul detém o segundo maior percentual, com 12,5% de idosos.

A pesquisa também destaca a importância do idoso na composição da renda familiar. Em todo o país, 30,4% das pessoas com 60 anos ou mais de idade trabalham e a maioria delas é a pessoa de referência na renda da família. Entre 1993 e 2003, houve uma redução do número de famílias que vivem com até meio salário mínimo per capita, porque – indica o estudo – neste período aumentou a participação do idoso no rendimento familiar.

O percentual de idosos – de 60 a 74 anos – que recebe até meio salário mínimo per capita é superior ao percentual de idosos com 75 anos ou mais. Entre os que têm rendimento médio mensal superior a cinco salários mínimos, é maior a proporção de homens idosos (60 a 74 anos) e de mulheres idosas (de 75 anos ou mais).

Ainda conforme a pesquisa, o números de pessoas idosas sem instrução vem diminuindo nos últimos 10 anos. Entrentanto, 50% da população idosa do país tem menos de quatro anos de escolaridade.