O quarteto mágico da seleção brasileira, formado por Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Adriano e Robinho, passou a ficar em risco depois da fraca atuação contra a Argentina e da derrota por 3 a 1, na noite de ontem, no Estádio Monumental de Nuñez, em Buenos Aires. O esquema tático, com quatro atletas de características exclusivamente ofensivas, foi elogiadíssimo por Carlos Alberto Parreira, pelos torcedores e pela imprensa na goleada sobre o Paraguai por 4 a 1, domingo, mas mostrou falhas diante de um adversário mais forte.

O treinador deixou claro que ainda vai testá-lo por algumas partidas, mas, se não der certo, admite tirar um dos atacantes para escalar mais um meio-campista e, assim, avançar Ronaldinho. "Mas esse esquema foi utilizado em apenas quatro jogos (contra Peru, Uruguai, Paraguai e Argentina), não podemos ser precipitados", afirmou. "O jogo com a Argentina serviu de reflexão, mas não tenho medo de mantê-lo para a próxima partida."

A verdadeira prova sobre sua real eficácia será tirada durante a Copa das Confederações, com início previsto para a próxima semana. A equipe iniciará o torneio com a formação ofensiva dos últimos confrontos das Eliminatórias, mas, se não der resultado, Parreira voltará a reforçar o meio-de-campo.

Ficou evidente, na noite de quarta-feira, que o sistema, embora entusiasme por reunir atletas de alto nível, é vulnerável. A Argentina, com jogadores técnicos e de boa marcação, conseguiu neutralizá-lo e soube aproveitar os espaços dados pelo meio-campo e pela defesa para marcar gols. Surgiu, então, a dúvida na cabeça de Parreira. Colocar os quatro juntos em campo pode ser ótimo contra rivais limitados, mas perigoso diante de oponentes mais poderosos.

A Copa das Confederações proporcionará boa oportunidade para que o comandante brasileiro faça testes, pois, na pior das hipóteses, a seleção disputará três partidas. Se não aprovar, o treinador vai mesmo tirar alguém do ataque. Certo é que Ronaldo voltará na próxima rodada das Eliminatórias, em setembro, contra o Chile. Entrará no lugar de Adriano, que irritou o treinador por ter desperdiçado boa oportunidade ontem, quando o marcador apontava 3 a 1 para os argentinos, ou no de Robinho. Adriano é, por enquanto, o mais cotado para ir para o banco. E os dois podem sair caso Parreira decida por colocar Ronaldinho na frente ao lado de Ronaldo . "O Ronaldo é um dos melhores atacantes do futebol mundial, ele é importantíssimo para a seleção e, em breve, estará conosco", repetiu o técnico, na entrevista coletiva após o clássico de quarta.

A delegação embarca na noite desta sexta-feira rumo à Alemanha onde estreará na Copa das Confederações na quinta-feira, contra a Grécia . Os confrontos seguintes serão diante do México, dia 19, e do Japão, dia 22. Cafu e Roberto Carlos foram liberados para férias. O mesmo ocorre com Ronaldo, também dispensado dos últimos dois compromissos das Eliminatórias.