A Petrobras não consultou nem informou o PT, partido do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, sobre o reajuste dos combustíveis anunciado hoje pela estatal. “Desconheço qualquer contato com o futuro governo sobre o assunto. O reajuste foi uma decisão do conselho administrativo da empresa”, afirmou o gerente-geral de Comércio Interno da estatal, Alípio Ferreira.

O diretor de abastecimento da Petrobras, Rogério Manso, também disse desconhecer qualquer tipo de consulta prévia ao PT antes da divulgação oficial do aumento. No início da tarde, a Petrobras anunciou um reajuste de 12,09% no preço da gasolina para as refinarias e de 22,80% do GLP (gás de cozinha). Para o consumidor, a estimativa é que o repasse chegue a 9% no caso da gasolina e 12% no GLP.

Após a divulgação dos aumentos, o secretário geral do PT, Luiz Dulci, disse que o reajuste deveria ter sido anunciado muito antes – a última alta da gasolina foi em junho- e que o governo segurou os preços para não prejudicar a candidatura de José Serra (PSDB), mesmo partido do presidente Fernando Henrique Cardoso. “Consideramos, sim, que o governo deixou passar a eleição para anunciar o reajuste dos combustíveis”, afirmou Dulci. “Evidentemente, estamos muito preocupados [com a alta dos preços], que refletem a política econômica realizada no último período, a qual acarretou no aumento da inflação”, disse o petista. (Correio Web/FolhaNews)