A bancada do PT na Câmara decidiu, há pouco, encabeçar um requerimento para criação de uma CPI para apurar a compra de votos de parlamentares, desde o governo Fernando Henrique Cardoso até a denúncia feita recentemente pelo presidente do PTB, deputado Roberto Jefferson (RJ), de que o tesoureiro do PT, Delúbio Soares, teria pago mesadas de R$ 30 mil a deputados do PL e PP em troca de votos a favor do governo.

O líder do PT, deputado Paulo Rocha (PA), pretende fazer uma manifestação pró-CPI, às 15 horas, em conjunto com os demais líderes da base aliada e começar logo a coleta das assinaturas necessárias para criação da CPI. O número mínimo é de 171 deputados, que corresponde a um terço de todos os deputados.

A proposta da CPI do PT é que o órgão fique restrito à Câmara. A idéia é que, para viabilizar a criação desta CPI, furando a fila existente na Casa de comissões de inquérito ainda não instaladas, seja apresentado um projeto de resolução, que tem que ser aprovado pelo plenário. Pelo regimento, só cinco CPIs podem funcionar na casa ao mesmo tempo. O projeto de resolução permitiria a instalação de uma sexta.