O líder do PSDB no Senado, Artur Virgílio (AM), disse que o partido vai entrar hoje com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin), no Supremo Tribunal Federal (STF), contra a MP que elevou para ministro o status do presidente do Banco Central. “Vamos mostrar que esta MP cria conflito de atribuições”, disse Virgílio. Na sua avaliação, o governo também está desrespeitando os tribunais superiores ao mudar o status do presidente do BC por uma medida provisória. “O governo voltou a colocar agora na ribalta o caso Meirelles depois de ter conseguido desviar o foco para uma suposta briga entre o presidente e o relator da CPI do Banestado”, disse Virgílio, numa referência as denúncias de evasão fiscal contra o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Além do PSDB, o PFL também já anunciou que vai entrar com uma Adin na STF.