Em solidariedade ao protesto dos pais,
alunos resolveram ficar em sala de aula.

Pais de alunos se reuniram hoje, no pátio do Centro Federal de Educação Tecnológica do Paraná (Cefet-PR), em Curitiba, para protestar contra a greve dos professores da entidade, deflagrada no dia 8 de julho. A paralisação, organizada pelo Sindicato dos Docentes do Cefet-PR (Sindocefet-PR), tem como objetivo pressionar o governo federal a fazer mudanças no texto da reforma da Previdência.Na visão da maioria dos pais, o movimento organizado pelos professores não faz sentido e só prejudica os estudantes.

Em solidariedade ao movimento dos pais, que durante toda esta semana devem marcar presença no pátio do Cefet, alguns alunos resolveram permanecer em sala de aula, mesmo sem a presença dos professores.

A vice-presidente do Sindocefet-PR, Zenaide Claudino Passos, diz que os professores decidiram em assembléia que vão voltar às aulas após a votação em segundo turno da reforma.

O diretor da unidade do Cefet-PR de Curitiba, Cion Cassiano Basso, confirma que os professores em greve não vão sofrer prejuízos salariais, já que a lei de greve do funcionalismo público não foi regulamentada, porém declara que o calendário da instituição será estendido e que todas as aulas serão repostas.

A unidade de Curitiba do Cefet-PR tem cerca de setecentos professores.(Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)