O coordenador de Mobilização Social do Fome Zero, Frei Betto, rebateu hoje críticas feitas ao projeto, na abertura do 3.º Encontro sobre Metodologias de Avaliação e Acompanhamento das Politicas de Combate à Pobreza, que ocorre até amanhã na sede do Banco do Nordeste, em Fortaleza. “O Fome Zero não é assistencial, é um programa estrutural de políticas públicas, com metas para quatro anos de atuação. Terá êxito quanto menos tempo a família beneficiada precisar dele”, disse.

“Hoje não temos sequer direitos animais. Porque comer não é um direito humano é um direito de qualquer bicho e nem isso temos assegurado para cerca de 40 milhões de brasileiros.”

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) também participou do evento e pediu que se evitasse a criação de “factóides” para “não cair na implementação de projetos puramente populistas”. Ele disse não ter se referido especificamente ao Fome Zero, mas a outras experiências sociais ao longo da História.